Atitude

É verão, cuidado com o mosquito!

Altas temperaturas e umidade aumentam os casos de vírus transmitidos pelo Aedes Aegypti, é necessário se precaver

Vem chegando o verão, o calor no coração, essa magia colorida, são coisas da vida… como exalta a cantora Marina Lima neste hino eterno da estação, mas junto de toda alegria, beleza e calor, alguns problemas assolam o país. Como o mosquito Aedes Aegypti, transmissor da dengue, zika e chikungunya.

Com a estação mais quente, os locais propícios para a criação do mosquito se multiplicam e a população deve se mobilizar para eliminar os focos. Como nessa época o clima fica mais quente e úmido, os ovos do mosquito se abrem com maior facilidade, aumentando a proliferação do inseto.

A massificação das informações é necessária para reforçar a proteção contra o mosquito Aedes Aegypti, em especial às gestantes, pela associação do vírus zika com a microcefalia em bebês, a população ficou mais alerta, no entanto não se pode esquecer da dengue, e do chikungunya, vírus que causa dores nas articulações e que demora meses para que o infectado se reestabeleça.

aedes

Degue, Zica e Chikungunya

A dengue tem como principais sintomas a febre alta e repentina, que geralmente dura de 2 a 7 dias. Também há intensas dores de cabeça, atrás dos olhos e no músculo. É comum que haja perda de peso, náusea e vômitos.

A Chikungunya tem como característica mais marcante as dores intensas nas articulações dos pés, das mãos, dos dedos, dos tornozelos e dos pulsos. Também há febre alta, com duração de dois a três dias, e, em 30% dos casos, conjuntivite. Os sintomas aparecem entre dois e doze dias após a picada do mosquito e, depois de infectada, a pessoa fica imune pelo resto da vida.

O vírus da Zika tem o aparecimento no corpo de manchas avermelhadas, que coçam bastante, como principal sintoma. Também pode haver dor de cabeça, febre baixa, dores leves nas articulações, coceira e vermelhidão nos olhos. Os sintomas tendem a desaparecer no período entre três e sete dias.

Nenhuma dessas três doenças tem tratamento específico, são tratadas com base nos sintomas que o paciente apresenta. Não deve se automedicar para que não haja complicações. Repouso e ingestão de bastante líquido também são indicados durante os dias de manifestação dos sintomas.

infografico

Ações de prevenção

Eliminar os focos de água parada. Poucos minutos bastam para fazer uma vistoria em casa para manter o ambiente limpo. Pratinhos com vasos de planta, ralos, baldes, garrafas, calhas, pneus e até brinquedos podem ser os vilões e servir de criadouros para as larvas do mosquito.Não importa se você mora em apartamento ou casa, o mosquito Aedes aegypti pode encontrar um recipiente com água parada para depositar os ovos e se reproduzir.

Utilização de repelentes, sejam eles químicos ou naturais diminuem a probabilidade de contrair os vírus. Diversas marcas oferecem o produto e para diversos tipos de pessoas, é importante antes da compra averiguar se não possui alergia, e buscar o que melhor atende a suas necessidades

Como não existem vacinas ou medicamentos, a única forma de prevenção é acabar com o mosquito, eliminando os possíveis criadouros. Além disso, roupas que não deixem a pele exposta, repelentes, inseticidas e mosquiteiros também podem ajudar a proteger das picadas.

evitar-dengue

Inscreva-se na Newsletter do site da Cleo