Atitude

Dra. Jana fala de tratamento para Melasma

Como você pode lidar com essas manchas que incomodam tanto as mulheres

Melasma é um problema que acomete muitas mulheres, são manchas amarronzadas, principalmente no rosto, relacionadas a questões hormonais. Proveniente, muitas vezes, do uso de métodos anticoncepcionais que geram modificações no sistema interno ocasionando essas manchas. Cleo já deu seu depoimento afirmando que tem melasma e como lida com isso em vídeo para matéria aqui do site. Fomos atrás de mais explicações e dicas de como proceder de forma correta.

Cleo fala como se previne dessas manchas marrons no pele

Dra. Janaína Barboza, médica Ortomolecular, afirma que as manchas são provenientes de disfunção hormonal relativa a produção de progesterona, e que sim, tem cura, se o tratamento for feito corretamente. “A causa existe é conhecida e definida, você mede através de exames e você trata o melasma com progesterona bioidentica e ovulação”, ressalta Dra. Janaína. No entanto, métodos e cuidados para a pele ajudam a amenizar. O uso de protetor solar moderado auxilia a não aumentar as manchas enquanto se realiza o tratamento de disfunção hormonal com a retirada da pílula, e também, com progesterona bioidentica e um gel de nanossomas (aqui podemos contar com a nanotecnologia), é fundamental.

“Não é recomendado tratamento domiciliar, estas manchas são profundas, originadas de algo maior, a deficiência de progesterona. Por isso devem ser tratadas de dentro pra fora e não ao contrário, afirma Dra. Janaína.

O ponto de vista da Cleo e da Dra. Janaína é de que antes de tratar as manchas é preciso tratar da saúde, uma vez que o corpo esteja alinhado internamente, essas marcas, ou expressões de que há algo errado, deixam de aparecer. Isso leva um tempo, lógico, e necessita de um entendimento de cada um de que ao tratar a saúde se previne coisas desse tipo. “A mancha só sinaliza erro metabólico dentro do corpo. Existindo sim tratamento definitivo, equilibro hormonal, mas nunca feito com anticoncepcionais. Pílula é contra indicação absoluta”, diz a doutora.

O dermatologista para fazer o diagnóstico do melasma busca reconhecer sua aparência por meio do uso da luz negra (lâmpada de Wood). É mais comum que seja diagnosticado o tipo misto de melasma e muito raramente é necessário uma biópsia da pele para excluir outras causas para a hiperpigmentação do local. Peles mais escuras estão mais propensas a sofrerem dessas manchas por terem mais melanina. No entanto, para não ficar tratando as manchas com soluções superficiais, na pele, é preciso ir mais fundo em busca do equilíbrio da saúde.

Inscreva-se na Newsletter do site da Cleo