Atitude
Como se perder na noite paulistana

Como se perder na noite paulistana

De bares a exposições, o que a noite de São Paulo tem a oferecer?

São Paulo é a maior cidade do país, uma das maiores regiões metropolitanas do mundo, e tamanha grandeza reflete diretamente na riqueza da diversidade de sua vida cultural e de rua. São incontáveis bares, festas, eventos e bairros que atraem milhões de turistas todos os anos, além dos próprios paulistanos. Há o destino perfeito para qualquer tipo de público, desde as colônias estrangeiras que aqui criaram raízes aos bons brasileiros que buscam por samba, rap e funk. Se seu perfil é alternativo, também também não vai faltar opção de festas e shows nessa cidade.

 

Mas a vida noturna de São Paulo é mais do que simplesmente festas. Há pelas avenidas e becos da capital econômica do país inúmeras opções para os que buscam simplesmente jantar, conversar ou até mesmo conferir uma exposição de arte. Não é a toa que a cidade foi eleita pela CNN como a quarta melhor vida noturna do mundo. A variedade é imensurável, mas vamos tentar mapear alguns interessantes pontos por onde você pode passar quando estiver de visita e sem destino pela noite.

Visão aérea da cidade de São Paulo | Como se perder na noite paulistana

Muito mais do que buscar no Google o bar ideal, conhecer a vida noturna de São Paulo com sucesso vai depender de encontrar o bairro ou região perfeito pra você. Cada destino com uma personalidade e público distintos. Alguns são figuras certas nos roteiros de qualquer um que chegue a São Paulo, como Vila Mariana.

 

Ao lado do Parque Ibirapuera e casa para diversas universidade, a Vila Mariana é conhecida como o mais famoso dos boêmios bairros da cidade. O público é jovem/adulto, e há muitos bares principalmente frequentados por universitários. Pelas ruas as opções variam desde botecos e cervejarias até restaurantes e pubs com música ao vivo e boa comida, de acordo à classe alta que predomina a região. Ao descer pelo metrô de mesmo nome e caminhar pelas ruas de Vila Mariana é possível escolher onde curtir a sua noite, como o tradicional Veloso (Rua Conceição Veloso, 54), boteco eleito este ano o melhor destino para se comer pela Folha de São Paulo. No site do bar é possível ver as diversas listas de turismo onde já figurou. Opções de destaque para uma noite mais cultural são o bar Gibi Cultura Geek e a tradicional Cinemateca. No Gibi Cultura Geek você pode conferir exposições de quadrinhos, conhecer o museu do vídeo game ao mesmo tempo em que assiste transmissão de eventos geeks e bebe drinks temáticos. O bar fica na Rua Major Maragliano, 364, e funciona de quarta a domingo até 00h. Na Cinemateca, que normalmente fica aberta até 18h para visitação em suas áreas públicas, há diversas exposições de cinema que ocorrem especialmente no período noturno. Amanhã (30/11), inaugura a última atividade do ano, com a exposição “Tropicália, ontem como hoje”. Serão mais de 30 filmes, até o dia 16/12, para homenagear os 50 anos da tropicália e refletir sobre a influência do movimento no cinema. Serão exibições em sua maioria de 18h às 22h. Acesse toda a programação aqui.

Já se o que você busca pela cidade é uma experiência única, com muita arte, música e uma vibe rock n roll, talvez você devesse passear pela Rua Augusta. De dia é possível conhecer barbearias, estúdios de tatuagens e lojas de roupas alternativas, mas toda noite os bares se abrem para um público especialmente jovem. Nos anos 60 a região era referência de Glamour, e a partir dos 70 passou por um período de esquecimento com a abertura de tantos shoppings na cidade. Foi a partir dos anos 90 que passou a ser revitalizada e centralizar o destino jovem da cidade.

É uma das ruas mais famosas da cidade, ao lado da Avenida Paulista, e concentra desde botecos a festas das mais descoladas. Se quiser indie, há o Beco 203. Se procura por música pop, tem a popular 1007. Se quer rock, tem o Augusta 472. Se quer só tomar uma cerveja, tem o Ibotirama. Stand Up? Vá no Comedians no número 1129. Pub com show ao vivo? Tem o Ye Olde Pub.  Karaokê e sinuca fica por conta do Tex Redneck Bar. Se é fã de vinis, conheça o Sensorial Cervejas, Cafés e Discos. Já hambúrgueres tem no Rock n Roll Burguer Bar. Ou se for vegetariano, seu cardápio está no Dona Augusta.  Tudo isso na mesma Rua Augusta! Obrigatório, não?

Porém, para os que não procuram a bomba de informação da Rua Augusta, mas também quer vivenciar uma boa noite paulistana, outros pontos da cidade oferecem a mesma diversidade. Na Bela Vista você encontra o Ludus Luderia, um bar especializado em jogos de tabuleiro! São mais de 900 jogos (com direito a especialistas pra te ensinar) de quarta a domingo. Às quartas e quintas, o funcionamento é de 18h a 00h. Sexta e sábado tem horário estendido até 3 da manhã! Aos domingos encerra meia noite, mas inicia mais cedo, às 16h.

 

Em Pinheiros o Z Carniceria é um ressurgimento de um bar que nos anos 80 e 90 atuou na Rua Augusta. A releitura surge em tom de saloon e é uma opção refinada para relembrar os anos de rock n roll da capital paulista. Já para um encontro mais relax o Jazz nos Fundos é tradicionalíssimo. Boa comida, boa música e boas bebidas acompanham as noites do que vão até Pinheiros. É definido como um tesouro esconderijo. Mais do que um bar, é um centro cultural de música ao vivo. Os aperitivos vem como um valioso bônus. O funcionamento é de terça a sábado, de 19h até 3 da manhã.  Pinheiros, por ser uma região de elite paulistana, tem diversas opções de restaurantes famosos e refinados. É nele onde fica também o Arturito, da chef Paola Carosella com funcionamento até 23h30 e pratos orgânicos e artesanais.

 

Já a região da Consolação também é conhecida como um destino descolado para o público jovem. O principal é o baixo custo e grande diversidade dos que vão conhecer seus bares. Há karaokês, cafés, festas e bares com forte público LGBT. É um local eclético para os que querem curtir ou simplesmente aproveitar uma noite tranquilamente.  Uma opção tranquila para conhecer o bairro é o café Ube, um espaço aconchegante com doces e refeições rápidas em mesinhas ou balcão, com clima intimista e acolhedor. Funciona diariamente até 00h.

Como podemos observar numa breve tentativa de ilustrar a diversidade pelas ruas de São Paulo, há todas as noites roteiros distintos para cada tipo de público e gosto. Muitas outras opções povoam os famosos bairros da cidade, e seria impossível abarcar a todos. Alguns que merecem ser lembrados são os karaokê característico do bairro da Liberdade, que garante viva a cultura oriental em pleno centro São Paulo. A Vila Madalena é outro berço da vida noturna de São Paulo com uma personalidade boêmia tão intensa quanto Vila Mariana. É lá o destino perfeito para um happy hour depois do trabalho em bares como o tradicional Boteco São Bento. A ainda o bar São Cristóvão, refúgio para os amantes de futebol e chopp gelado; além do Morrison Rock Bar para os que buscam boa música na zona oeste paulistana. O Largo da Batata também merece ser lembrado, com sua vibe mais boteco e gente que gosta de comprar bebida e ir pra praça. O largo é palco perfeito para encontro de dança, skatistas e até intervenções religiosas. No site você pode não só conferir toda a programação como cadastrar o seu próprio evento para acontecer no tradicional largo paulistano.

Agora, se você tem na veia a cultura tipicamente paulistana do rap, é na batalha de MC que acontece toda sexta-feira na Avenida Paulista onde você vai se encontrar. Desde 2011, a Sexta Free – Batalha Racional dá o nome do rap na noite paulistana, sempre às 21h. É chegar e batalhar no freestyle, seja homem ou mulher. Também vale à pena ficar de olho na Batalha da Estação, que uma sexta-feira no mês aconece na Rua Juvenal Harttman às 18h30. Com direito a DJ e dois MCs que comandam a batalha, é referência no rap inclusivo da zona norte. Lá não vale machismo, homofobia ou qualquer outra opressão. Vale a visita, não?

 

Já a mais antiga de São Paulo é a Batalha de Santa Cruz, na saída do metrô de mesmo nome no bairro Vila Mariana. Desde 2006 é o ponto de encontro certo entre MCs todo sábado às 20h30. A batalha é dura e referência nacional. Vale conferir.

 

A riqueza é infinita e o interessante é não ter medo de se perder nessas amplas opções. Conheça cada canto, visite e revisite, e depois retorne para nos contar.

Inscreva-se na Newsletter do site da Cleo